EXCLUSIVO – Entrevista com Paulo Alves, Atleta do Liverpool!

Quem é capaz de segurar a potência de Flamengo e Corinthians ?
01/03/2017
Juventus Jaraguá lança avaliação para atletas profissionais!
01/03/2017

Para este mês, fizemos uma entrevista fantástica com o atleta Paulo Alves, do Liverpool. Nascido em São João da Madeira, Portugal, na região do Porto, norte do País, o meio campo de 19 anos, ensina uma lição de vida para aqueles que treinam forte e acreditam no próprio talento.

Sua atitude corajosa, rendeu oportunidades para que ele defendesse dois dos maiores clubes do Mundo, o tradicional Liverpool, onde já disputou e treinou sob o comando de Jürgen Klopp e o FC Porto!

Novamente convidamos a todos para curtir nossa Página Oficial no Facebook e acompanharem nossas notícias!

Paulo Alves, você é mais um jovem a brilhar no futebol. Cristiano Ronaldo tem alguma interferência ou inspiração no seu jogo? De qual forma?
Sim, o Cristiano é um exemplo para todos os portugueses, olhamos para ele como uma referência a seguir. É sem dúvida uma inspiração.

Nos primeiros meses a adaptação foi difícil? Como fez para sentir-se completamente ambientado?
Sim, nunca é fácil mudar para outro país aos 17 anos sozinho, mas felizmente apesar de ter sido difícil consegui adaptar-me bem.
Quando se muda para um clube novo e para um país diferente o primeiro ano é sempre de adaptação. Estou no meu segundo ano e sinto-me totalmente adaptado.
Penso que o segredo para isso é focar-se no futebol e naquilo que realmente se quer.


Achas que existe muita diferença entre o futebol inglês e o português?
Sim, existem algumas diferenças, o futebol na Inglaterra é mais físico e direto e sempre com alta intensidade de jogo, tem que se pensar mais rápido. Em Portugal o jogo é um pouco mais lento, mas mais técnico.

Já que falamos da diferença Inglaterra e Portugal, os treinos em si e sua metodologia são muito diferentes?
Hoje em dia o futebol é global e a metodologia dos treinos muda sempre de treinador para treinador, consoante as suas ideias e o que pretende para os jogadores.

Foram 7 anos no FC Porto, um clube onde todo atleta sonha jogar e lá tiveste realizações inesquecíveis. Quais foram seus momentos mais felizes no FCP?
Tive momentos muito felizes e lá passei muito tempo da minha vida. Entre vários momentos felizes no FCP, ganhei alguns troféus de melhor jogador em torneios, e no Sub14 quando jogamos no estádio do Dragão foi um dia especial.

A sua escolha de regressar a casa, Sanjoanense para jogar pelos Seniores mostra bastante atitude e coragem, pois a altura, estavam a jogar o Campeonato Nacional. Acha que esta ambição pode ter sido um passo para ter o convite do Liverpool?
Decidi regressar a casa porque nos últimos 2 anos no Porto achava que devia jogar mais e não estava muito contente.
Por isso saí para jogar mais, não foi uma decisão fácil, mas hoje quando olho para trás foi a melhor decisão que tive, pois o ano em que estive na Sanjoanense foi dos mais felizes da minha vida e onde evoluí muito.
Primeiro integrei a equipe de juniores, mas fui chamado para os seniores (profissional) e fiz a minha estreia com 16 anos.
Ter integrado um plantel sênior (profissional) com esta idade fez-me crescer muito como jogador e como pessoa. Depois felizmente veio o Liverpool…

Os sonhos que tens, aos poucos tornam-se realidade pela sua ambição e trabalho. Como foi para si realizar a meta de ter sido convocado por Jürgen Klopp para o jogo diante do Plymouth Argyle pela FA CUP? Poderia nos contar um pouco sobre a semana de treinos e sobre a sensação de entrar nos balneários e ver a camisa com seu nome e número?
Foi um orgulho enorme ver o meu nome na camisa do Liverpool, foi fruto de muito trabalho e persistência, por isso fiquei muito feliz e orgulhoso, mas claro que não quero ficar por aqui. Essa semana foi muito boa, na segunda-feira joguei pela equipe B em Anfield contra o Manchester United, antes do jogo o treinador chamou-me e disse-me que eu poderia estar envolvido para o jogo da equipe A na quarta-feira. E assim foi, terça treinei e na quarta foi o jogo.

Apesar de jovem tem seu desenvolvimento ligado a treinadores mundialmente famosos como José Guilherme (ex-treinador adjunto da seleção de Portugal no Mundial 2010) e também Jürgen Klopp. Podemos dizer que eles, assim como jogadores também são diferenciados no que fazem. O que estes treinadores têm “fora do comum”?
Cada treinador é diferente, o mister Zé Guilherme foi meu treinador quando eu tinha 15 anos e o futebol é diferente quando se vai crescendo, mas foi um técnico que sempre me ajudou e sempre me fez sentir bem, evolui quando ele me treinou.
O Klopp é um treinador muito exigente com ideias de jogo muito bem definidas e passa-as de forma clara para os jogadores. É muito bom quando se vai à primeira equipe porque aprende-se sempre uma coisa nova a cada treino.

A conquista do Campeonato Europeu valorizou ainda mais os atletas de Portugal em geral? Isto teve alguma mudança positiva para si?
Penso que sim, agora as pessoas dos outros países já olham para Portugal e para os jogadores portugueses com mais respeito e admiração, foi uma conquista muito boa para o nosso país.

Certamente que seus objetivos também envolvem em breve defender a seleção principal de Portugal. Podemos ter a confiança que logo seu nome estará na lista dos convocados. Como vê essas hipóteses em um futuro próximo?
Claro que gostaria muito de um dia vestir a camisa de Portugal, é o sonho de qualquer um, mas não depende só de mim. Agora estou focado em evoluir e em jogar bem no Liverpool e depois se a seleção vier seria muito positivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *