Desvendando – Conheça os Grupos 26 até 28 da Copinha 49ªEdição

Conheça os integrantes da Copa SP 2018 dos grupos 23 a 25
02/01/2018
Para fechar a Série: Copa SP Juniores – Grupos 29 a 32
03/01/2018

Chegou o grande dia e o portal Mazzuia corre contra o tempo para estrear junto da competição, finalizando as informações de todos os participantes. Agora é hora de conhecer os Grupos 26 até 28 da Copinha.

Grupo 26 – Estádio Inamar
Água Santa
O Água sempre está acompanhado de sua torcida e o treinador Antônio Carlos, faz parte da história do clube. Após chegar as Quartas de Final com o Sub-15 em 2015, levou o Netuno a 3ªFase do Sub-17 em 2016, para assumir os Juniores esse ano, onde já conseguiu chegar até as Semifinais, eliminando o São Paulo em um jogo onde o estádio tremeu, tamanha a garra do time.Muitos atletas da geração 2000, estão progredindo no clube desde o Sub-15 e a expectativa é grande, porque o Água Santa chega em sua 3ªparticipação com o mérito de ter se classificado em 2016 e 2017 até o Mata Mata.
Vasco
O Gigante da Colina vem com tudo para repetir o título de 1992 ou pelo menos chegar até a final, como em 1999.
Apesar do hábito de não vir com jogadores principais ou trazer seu sub-17 em algumas competições, esse ano o Vasco quer ganhar a competição.
O Estadual da categoria foi dominado com méritos e o título veio, na Copa do Brasil Sub-20 chegou até as Quartas, não disputou a Copa RS e decepcionou apenas no Brasileiro da Categoria, onde ficou na 1ªFase em um grupo difícil diante de Cruzeiro, Palmeiras, Vitória e Atlético-PR.
Falando da última final (1999), a maioria dos atletas vem dessa geração. O Almirante terá reforços vindos do Juvenil, pois 10 jogadores subiram ao profissional: João Pedro (goleiro), Ricardo (zagueiro), Alan (lateral), Bruno Cosendey (volante), Andrey (volante), Evander (meia), Mateus Vital (meia), Caio Monteiro (atacante), Paulinho (atacante) e Paulo Vitor (atacante).
Veja a lista:

Juventus-SP
O moleque travesso não parece pronto para “ser a zebra”; a equipe que chegou até a Semifinal da Copinha 2017 foi desfeita e o resultado no Estadual Sub-20 foi pífio. Estava entre as defesas que mais chances de gol sofriam, logo ficou na 1ªFase.
A Rua Javari passa por troca de gramado, portanto perde outro fator importante, sua casa, pois o campo com torcida próxima e dimensões mínimas favorecia um jogo truncado e com muitas bolas paradas.
Já foram campeões em 1985 e finalistas em 89, 90 e 2000.
Espírito Santo FC
Depois de ficar fora da Copinha em 2017 por sofrer um gol nos acréscimos na Semi do Estadual, o clube melhorou dentro e fora de campo.
O título do Estadual 2017, garantiu a vaga na 49ªedição, para o time que também representou seu estado na Série D do Brasileirão.
Se preparando desde novembro, a equipe voltou a jogar diante do vice, Rio Branco, mesmo clube que o venceu nos acréscimos da temporada anterior. Nesse amistoso, acabou derrotado.

Grupo 27 – Estádio Joaquim de Moraes Filho
Taubaté
A categoria Sub-20 sofreu 39 derrotas, 17 empates e 20 vitórias nos últimos 4 anos, apresentando Estaduais sem passar de fase e eliminação em 2014 / 2015.
O “Burro da Central” cresce na Copinha, porque sua diretoria reforça o clube durante a temporada e o elenco muda bastante. Em algumas oportunidades, jovens são chamados ao elenco profissional para fazer parte da Copa Paulista, voltando a base com mais experiência.
Essa foi a fórmula para avançarem de fase em 2016 e 2017. Será que repetir trará resultado?
Palmeiras
Ainda não tem o título da competição, algo que incomoda, porque sua base é muito organizada e revela excelente jogadores.
Esse ano as campanhas enchem o torcedor de esperança: Título no Estadual, Vice da Copa RS, Quartas na Copa do Brasil.
Wesley Carvalho assumiu a equipe em maio e criou um plantel competitivo, jogando ainda de forma vertical.
Outro fator que empolga o Palmeiras é que seu elenco será exatamente o mesmo que fez as boas campanhas mencionadas.
Luverdense-MT
A expectativa é crescer durante a competição e surpreender, já que seus resultados não empolgam: Eliminação na 1ªFase nas últimas 4 edições do torneio, vice no Estadual após perder para o União nos pênaltis e saída precoce (1ªFase) na Copa do Brasil.
Para o clube melhor na categoria profissional, talvez precise fortalecer a base.
Moto Clube-MA
Três dos quatro integrantes desse grupo, o mantém nivelado por baixo. Mesmo o Moto atravessando uma fase de reconstrução e consolidação para voos maiores no profissional, a base ainda não é consistente.
O título veio diante do Sampaio Corrêa na finalíssima, cercado de muita confusão. De forma humilde, pode ser o 2ºclassificado do grupo.

Grupo 28 – Estádio Dario Rodrigues Leite
Manthiqueira
Estamos falando de um clube diferente: Campeão da Série B profissional, classificado na Copinha 2017 para o mata mata e uma agremiação ousada.
O presidente é apaixonado pelo jogo limpo, logo há cartilha de Fair Play como não simular pênaltis e ser leal ao adversário o tempo todo. Em sua história, uma treinadora organizou o profissional por muito tempo, Nilmara Alves.
Sua organização deu consistência ao longo dos anos para ganhar a preferência da cidade de Guaratinguetá, onde o time que leva o nome do município foi “se perdendo” e está licenciado.
Nessa temporada, ficou nas Oitavas no Estadual Sub-20.
Bahia
Representa a tradição no Grupo 28, revela bons jogadores e tem bom histórico de passagens na Copa SP Juniores. O melhor feito foi chegar a final em 2011.
Nessa temporada o Tricolor ficou de fora da final do Estadual, chegou até as Quartas da Copa do Brasil, 1ªFase do Brasileiro e por fim, alcançou as Quartas na Copa RS.
Talvez, o Bahia pode adquirir esses detalhes que faltam para conseguir chegar até a final durante a competição, caso os cruzamentos favoreçam.
Botafogo-PB
Desde 2015 consegue a classificação e tem uma das melhores categorias de base do estado da Paraíba.
Após ser campeão com goleada (4 x 1 sobre o São Paulo Crystal), a ordem é melhorar a nível nacional, inspirado na campanha de 2016 onde passou de fase, diferente de 2015 e 17, quando não tiveram sucesso.
O técnico Ramiro Souza, terá 20 atletas para escrever a história na competição: Anderson Júnior e Isaías; o lateral-direito Philip Moura; os zagueiros Iago Leite, Railton e Reinaldo Riviera; os volantes Rafael da Rocha, Sílvio, André e Michael; os laterais-esquerdos Wanderson e Jonas; os meias Ramom, Maurílio e Jakson Yuri; e os atacantes Cesinha, Ewerton Carlos, Júnior, Victor Guilherme e Raylson Reje.
São Bento-SP
Também presente desde 2015, mas sem jamais se classificar. A base normalmente tem atraído atenção de empresários e investidores, o que representa dinheiro em caixa, mas nem sempre um elenco de qualidade.
A campanha no Paulistão também não empolgou, vice lanterna na 1ªFase, corroborando com o histórico entre 2015 a 2017: 40 derrotas, 9 empates e 17 vitórias.
A equipe de Sorocaba precisa mudar esse rumo para abastecer o elenco profissional, que vem “voando” pelo futebol brasileiro: Da Série A3 de São Paulo para a Série B Nacional em apenas 5 temporadas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *