Sem árbitro? Jogos do Fortaleza quase foram ameaçados no estadual!

Compartilhe e Concorra uma camisa oficial do Plácido de Castro – Veja regras!
05/03/2018
Raio-X: Conheça os integrantes da Série D 2018 Grupo A4!
07/03/2018

Sem árbitro para os jogos do Fortaleza, parece piada ou aquelas famosas notícias para ganhar acesso, contudo o torcedor tricolor que procurar os demais meios de comunicação, certamente ficará decepcionado com a veracidade da mesma.
Segundo o Sindicato dos Árbitros do Ceará, declarações de dirigentes do clube de Rogério Ceni, colocam em dúvida a imparcialidade e honestidade desses profissionais.
Pelo jeito, os jogos do Fortaleza teriam arbitragem de fora do estado, porque o Sindarf-CE já entregou ofício (mas voltou atrás) para a Federação Cearense de Futebol, assim como para o TJD local.
Desavenças
Após ser derrotado pelo rival Ceará pelo placar de 2 x 0 ainda no primeiro clássico do ano, a equipe criticou os homens do apito e ainda solicitou que pessoas de fora comandassem o último jogo no Castelão, dessa vez com resultado final de 1 x 1.
A Rádio Verdes Mares ouviu o presidente Marcelo Paz, dizer que os erros eram recorrentes, todas as falhas eram contra o Tricolor, sendo raro quando acontecia ao contrário e justamente por observarem jogo a jogo, eles não poderiam ficar em silêncio.
Segundo a Sindarf-CE solicitar arbitragem de fora do estado não é um problema, mas sim os tipos de críticas que colocam em dúvida o trabalho realizado.
Rogério Ceni, assim como seu presidente, manifestou opinião parecida, citando que treinaria seu time com um jogador a menos, para simular o jogo diante do Ceará, já que sempre um jogador seu é expulso.
Deu para trás!
O Artigo 261-A, menciona que se um árbitro se ausentar do jogo, sem qualquer justificativa ele é penalizado, logo o ofício evitaria qualquer sanção.
Contudo, uma reunião realizada no final da tarde dessa segunda-feira (05 de março), causou reviravolta no Campeonato Cearense 2018 e o recuo da ideia. Primeiro pela possibilidade da destituição de João Lucas da presidência do Sindicato de Árbitros, segundo porque os próprios juízes disseram não saber o que aconteceu com exatidão e se defenderam dizendo que não assinaram tal documento!
Versões diferentes
A ideia inicial era apenas uma nota repúdio, contudo, alguns foram mais radicais. Algumas versões desencontradas do caso fazem parte para colocar “panos quentes” na situação. Uma versão aponta que na verdade tudo foi um mal entendido, já a outra, contada para a reportagem do jornal OPovo, onde alguns profissionais pediram para não ter seu nome revelado, citam que áudios vazados de responsáveis do próprio órgão de arbitragem teriam criticado a atitude de seus profissionais. Portanto, tudo “acabou em pizza”!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *