Kazu, aos 51 anos e o sonho de jogar a Copa do Mundo!

Sebastián Coates teve atitude destacável no futebol português!
10/10/2018
Federação Paraibana de Futebol recorre a máquina de escrever!
10/10/2018

Kazuyoshi Miura, apelidado simplesmente de Kazu! Aos 51 anos, o atacante mostra boa forma e vê como positiva a ampliação dos participantes na Copa do Mundo de 32 para 48 seleções.

Pois é, o ídolo do Japão, aquele mesmo que atuou no Santos continua em plena atividade pela J2 League, defendendo as cores do Yokohama FC, entrando em 8 das 35 partidas na 2ªDivisão Japonesa.

Sua história de brilho pelos gramados não está perto do fim, pelo menos é o que apura a matéria feita pelo jornal The New York Times, que pesquisou na revista esportiva do país Number e no site Spollup.

Tais meios de comunicação contaram que aos 30 anos, ele poderia comer um bolo inteiro sozinho, mas atualmente se concentra em alta proteína e baixa gordura.

Um nutricionista pessoal monta seu cardápio desde o café da manhã até detalhes da hidratação, abundante em suco de laranja e água carbonada diretamente da Itália.

Visto no país como um exemplo para jovens, pela forma como atende os fãs, cuida de si mesmo e ainda representa o “envelhecer produtivamente”, colaborando com a expectativa de melhorar a expectativa de vida, que atualmente é 83,8 anos no Japão.

E aonde entra a Copa do Mundo, mencionada lá no primeiro parágrafo? Ele não foi convocado para o Mundial 1998, quando estava no auge, mas ainda alimenta esse sonho. O preparo citado auxilia a vencer ou evitar grave lesões, aumentando sua esperança, para ele, continuar com expectativas e metas é sempre relevante no âmbito profissional!

Mesmo com um gol marcado, aos 50 anos e 14 dias de vida, Kazu acredita que já houve alguém mais velho a balançar as redes. Apesar do bom humor e constante troca de emails com atletas da seleção durante a Copa na Rússia, ele reiterou que “aguentaria 15 minutinhos”.

Segundo seu treinador, nessa idade o corpo começa a perder força, mas o comandante brasileiro, Edson Tavares o coloca em campo sempre que possível.

A preparação do craque não é indiferente, apesar dos conceitos éticos orientais. Quando demora a entrar ou sua equipe está em momentos adversos, é o primeiro a aquecer e sempre de forma intensa, mostrando que se for chamado, ele poderá fazer uma nova história!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *