Deficiente Auditivo e Visual brilharam na Copinha!

Campeonatos Estaduais 2019 – Uma “Bagunça organizada?”
27/01/2019
Times Brasileiros precisarão reorganizar finanças para garantir futuro!
29/01/2019


Resumo: Deficiente Auditivo e Visual brilharam na 50ªEdição da Copinha. Conforme a foto mostra, Jhonata Robert (Grêmio) e Guida (Goiás), respectivamente venceram adversidades para escreverem capítulos positivos em sua história.

A 50ªedição da Copa São Paulo de Futebol Juniores acabou dia 25 de Janeiro, mas empolgou torcedores e curiosos por todo o Brasil, logo, não é nenhum erro, divulgar algumas situações interessantes pós-competição.

Jhonata Robert
A sua capacidade auditiva é reduzida 70% desde a nascença, assim como seu pai e também seu avô, porém o atacante do Grêmio, que chegou até às Quartas-de-Final do torneio, ajudou na competição com gols e assistências.

A matéria originalmente reproduzida do UOL Esporte, apurou que o jogador já teve problemas para escutar o que diziam companheiros e treinador, mas desenvolveu habilidades para vencer o problema e até o bullying.

Entre estar mais focado e antenado ao seu redor, Jhonata procura sentar na frente nas palestras do treinador, mas durante o jogo, conseguiu apurar sua leitura labial, mesmo em distâncias maiores para interpretar e até repassar informações.

Guida
Também atacante, perdeu a visão de um dos olhos, aos 5 anos, quando seu irmão usava uma pedra para se defender de um cachorro, segundo a reportagem.

O acidente trouxe um adversário a mais, no caso, a falta de estímulo, porque até amigos mais próximos, acreditavam que ele não poderia mais jogar, porém até a timidez, que era uma característica de sua personalidade ficou de lado.

Elogiado pelo treinador, Guida acredita que no Goiás, aprendeu a aprimorar seu “feeling”, ou seja, criou uma percepção mais aguçada das coisas.

Carioca, quando retorna ao seu estado, encontra com aqueles que duvidaram da sua capacidade, mas hoje se surpreendem com seu rendimento, contudo, prefere não dar mais atenção para eles.

O atacante se sente feliz e abençoado por conseguir vencer e conseguir fazer o que muito atleta não faz, sequer com a visão completa.

Muito interessante saber que Deficiente Auditivo e Visual tem conseguido vencer no Esporte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *