Carreira

Ivan Mazzuia

20/11/1990​

Formação

Educação Física e Esporte Licenciatura e Bacharelado – Unisanta (Santos-SP), Analista de Rendimento (ATFA), Licença A (CBF)

Clubes Principais

Portuguesa Santista (Sub-20), EC São Bernardo, Paulista de Jundiaí, Red Bull Brasil (Sub-15 / Sub-20), Atlético Acreano, Santos FC (Sub-20)

Estágios / Europa

Vasco da Gama de Sines (2012), Marítimo (2012), FC Porto (2013)

Idiomas

Português, Inglês, Espanhol, Alemão.

Feitos

Campeão Sub-20 Segunda Divisão 2011 (EC São Bernardo), Campeão Next Generation Trophy 2017 (Red Bull Brasil), 3o lugar Série D 2017 e acesso Série C 2018, 6o lugar Série C 2018, Campeão Estadual Acreano Invicto 2019, Campeão Estadual Acreano Feminino 2018 e 2019 (Atlético Acreano), Campeão Estadual Acreano 2020 (Galvez)
Foi o ano de iniciação no futebol, Mazzuia entrou na Universidade Santa Cecília na cidade de Santos/SP em 6ºlugar no processo seletivo, no curso de Educação Física e Esporte.
Já pensando em direcionar sua carreira para o futebol, buscou oportunidades para estagiar e conseguiu vaga no Projeto Social Meninos da Vila Saboó, sob responsabilidade do professor José Luiz Gonçalves Oca.
Mesmo no 2ºano de faculdade, ingressou no esporte de rendimento. O estágio com Fernando Matos na Portuguesa Santista na categoria Sub-15 rendeu bons frutos no semestre seguinte, quando auxiliou o ex-zagueiro com passagens em Santos, Flamengo, Botafogo, Vasco e Guarani também na Categoria Sub-20 do Paulistão, diante de grandes adversários do estado.
A primeira mudança de clube aconteceu. Entre os anos de 2011 – 2013, o clube de Mazzuia foi o Esporte Clube São Bernardo, que na época tinha uma estrutura humilde. Treinava no campo de terra do EC Der, mas mesmo com as adversidades o Sub-20 sagrou-se Campeão Paulista da 2ªDivisão, o primeiro título relevante da agremiação apelidada carinhosamente como “Cachorrão”, tal conquista foi a primeira na carreira, no papel de auxiliar técnico.
Um outro destaque, foi a estreia como treinador no dia 03 de Setembro, na partida contra a ex-equipe, Portuguesa Santista, onde o placar foi uma vitória contundente por 3 x 0 na Baixada Santista.
Apesar da campanha do título ter tido 11 vitórias, 6 empates e 1 derrota, o sofrimento no único revés foi forte, pois o ECSB perdia de 3 x 0 para o rival Palestra e precisava de pelo menos dois gols para avançar, que ocorreram aos 43′ e 44′ minutos da etapa final, gerando uma classificação dramática.
 
Campanha do Título
Guarujá 1 x 1 EC São Bernardo
EC São Bernardo 2 x 0 Palestra
EC São Bernardo 3 x 2 São Vicente
Jabaquara 0 x 0 EC São Bernardo
EC São Bernardo 4 x 2 Portuguesa Santista
EC São Bernardo 2 x 0 Guarujá
Palestra 0 x 3 EC São Bernardo (W.O)
São Vicente 0 x 1 EC São Bernardo
EC São Bernardo 0 x 0 Jabaquara
Portuguesa Santista 0 x 3 EC São Bernardo
Palestra 1 x 2 EC São Bernardo – Oitavas de Final – Jogo de Ida
EC São Bernardo 2 x 3 Palestra – Jogo de Volta
Assisense 0 x 2 EC São Bernardo – Quartas de Final – Jogo de Ida 
EC São Bernardo 1 x 1 Assisense –  Jogo de Volta
Mauaense 1 x 1 EC São Bernardo – Semifinal – Jogo de Ida
EC São Bernardo 2 x 0 Mauaense – Jogo de Volta
Jabaquara 1 x 1 EC São Bernardo – Final de Ida
EC São Bernardo 3 x 0 Jabaquara – Jogo de Volta
 
A nível Brasil, as novidades ficaram por conta da efetivação de Mazzuia como treinador da equipe Sub-20 em partidas pontuais: Jabaquara 1 x 1 EC São Bernardo, EC São Bernardo 1 x 1 Diadema, Guarujá 1 x 2 EC São Bernardo, EC São Bernardo 2 x 0 Água Santa, EC São Bernardo 2 x 1 AD Guarulhos e Portuguesa Santista 5 x 1 EC São Bernardo.
 
Apesar das 3 vitórias, 2 empates e 1 derrota, durante o campeonato de 2013, optou-se em comum acordo para que cada um seguisse o seu caminho.
 
Durante esses 2 anos, os pontos positivos ficaram por conta do destaque internacional: 3 estágios foram realizados com sucesso na Europa, nas equipes do Vasco da Gama de Sines (Profissional  – Referências: Presidente Carlos Pereira e Treinador Carlos Loia), Marítimo (Base – Referência: Coordenador de Formação Nuno Naré ) e FC Porto (Sub-14 e Sub-17 – Referência: Treinador José Guilherme e Manager Rui Silva). Tais aprendizados, geraram um grande diferencial na carreira.
Foi um ano árduo e intenso. Contratado pelo Paulista de Jundiaí para a “dupla função” de Preparador Físico e Auxiliar Técnico da categoria Sub-15, Mazzuia dava suporte também para o Sub-11, Sub-13 e Sub-17. O Galo do Japi como é conhecido o tricolor, passava por um momento financeiro delicado e o Departamento de Análise de Desempenho, recém criado, também precisava de um suporte. Dessa feita, os contatos com os relatórios técnicos da equipe, do adversário, aliados as estatísticas durante a Copa Paulista também uma incumbência de Mazzuia.
No fim do ano, o Paulista excursionou com seus garotos Sub-11 para Portugal, permanecendo na cidade Alcanena e se deslocando por todo o país para fazer amistosos, assim partidas inesquecíveis contra Benfica e FC Porto, agregaram boas vivências na vida dos atletas e da respectiva comissão.
Apesar dos ótimos tempos vividos no Paulista de Jundiaí, todos os funcionários na época ficaram cerca de 8 meses sem receber até acontecer o desbloqueio das verbas do clube. Dessa feita, Mazzuia participou de um processo seletivo no Red Bull Brasil para Auxiliar Técnico da categoria Sub-15, sendo assim escolhido para assumir o cargo. 
O primeiro ano foi promissor para um conjunto que chegou até as Semifinais do Estadual da Categoria, venceu o Palmeiras na Copa Nike e saiu vencedor de duelos contra Bayern München, Valencia e Juventus no torneio The Next Generation Trophy, organizado na Áustria, na cidade de Salzburg.

“O meu maior fracasso é ter sucesso em algo que me afasta de Deus”. A frase de João Chaves, diz muito sobre o ano. Promoções negadas para favorecimento de incapacitados, futebol burocrático e outros problemas mais, foram alguns obstáculos, contudo, nas citadas adversidades e abalado com a perda do pai, um dos grandes incentivadores, que levava Mazzuia nos estádios desde criança, houve forças para a criação do site Mazzuia.com

Mazzuia redescobriu a alegria no futebol com um projeto pioneiro no estado do Acre! A marca do site esteve presente na camisa do Plácido de Castro FC, que alcançou o 3ºlugar no Estadual, conquistando vaga na Série D 2018, assim o trabalho implementado era de Análise de Desempenho a Distância, sem nenhum gasto para a agremiação. Vale lembrar que toda a parte presencial, da gravação de jogos, fotografias e assessoria de imprensa, era feita por acreanos, para valorizar os profissionais formados nos respectivos setores. A ideia era caminhar lado a lado com o Acre, valorizando o crescimento do Estado. Naquele ano, o Atlético Acreano garantiu seu acesso para a Série C, sendo o elenco formado por jogadores locais.
Os registros de Manoel Façanha (NaMarcadaCal.com.br), Raimundo Afonso Gomes e Ulysses (FFAC TV) são dignos de gratidão eterna, pelo apoio concedido nessa temporada e nos anos seguintes.
Um ano formidável, fazer parte da história do Plácido de Castro e do Atlético Acreano era como “sonhar acordado” para Mazzuia. No Plácido, a gestão da presidente, Rafaela Escalante, esbanjava transparência e modernidade, atraindo até o interesse da mídia internacional. 
Por outro lado, o Galo Carijó encantava o Brasil, o trabalho de Álvaro Miguéis esbanjava um futebol alegre, exibido ao vivo em todo o Brasil e vitórias heroicas aconteciam, com exibições inesquecíveis diante de grandes clubes como: Remo (1 x 0), Náutico (1 x 0), ABC (3 x 0 e 1 x 0), Juazeirense (5 x 0), Botafogo-PB (1 x 0), Salgueiro (3 x 1 e 2 x 1), além do empate frente ao Atlético-MG (1 x 1) pela Copa do Brasil.
A equipe acreana disputou o acesso contra o Cuiabá naquela temporada, mas ficou em 6ºlugar.
A nível acadêmico foi obtido o certificado do Curso de Análise de Rendimento da ATFA e a Licença B da CBF de Treinadores.
A boa fase do Atlético Acreano, permitiu que Mazzuia participasse de mais dois feitos históricos no Acre: Novamente como analista do Galo Carijó, ajudou a conquistar o Estadual invicto, algo inédito entre as 9 conquistas do clube até então. 
Outro projeto muito interessante foi o apoio a FFAC TV, a TV da Federação de Futebol do Acre no MyCujoo, que começou a cobertura dos Estaduais de Base em 2018, avançando para a transmissão dos jogos do Estadual do ano referido.
Buscando ampliar o projeto para outras frentes, houve mais um projeto de sucesso, a colaboração com o feminino do Atlético Acreano, gerido sob a responsabilidade de Neila Rosas.
Já no Pará, uma curta parceria com o Carajás-PA também teve sucesso, o vice-campeonato da 2ªDivisão ajudou o Pica Pau de Outeiro a retornar para a Primeira Divisão, após 14 anos longe da elite do futebol local.
A saída do Red Bull Brasil foi enfim concretizada, após vários pedidos de Mazzuia, que não era devidamente aproveitado no projeto do clube. As cinco temporadas na equipe foram muito ricas no sentido de estudar os documentos de modelo de jogo enviados da Áustria e Alemanha, onde muitas vezes colaborava com a tradução desses arquivos, mas na esfera profissional, caso os projetos dos anos anteriores não se consolidassem, a vida esportiva seria uma verdadeira inércia.
Já a nível Acre, outro passo marcante: A cobertura de TODAS as partidas do 2ºTurno pela FFAC TV e o título do Galvez, clube que Mazzuia permaneceu em parte da temporada foram bons momentos.
Ainda antes da pandemia, foi concluído o primeiro módulo da Licença A de Treinadores da CBF, onde mais uma vez Mazzuia pode representar o Acre.
No último trecho do ano, Mazzuia foi contratado para trabalhar como Analista de Desempenho da categoria Sub-20 do Santos FC, onde permanece até os dias atuais.